fbpx

Artigos

Sindrome de Peter Pan

Não é uma doença, não chega a ameaçar a vida, contudo, é mais que um incômodo.  Trata-se de um fenômeno psicológico, não é classificado em nenhuma categoria de transtornos emocionais, mas sua existência é bem conhecida e na mesma proporção, difícil de explicar.

A síndrome de Peter Pan, passou a ser mais conhecida ou ficou mais evidente, nas últimas décadas, provavelmente evidenciada pelas pressões da vida moderna.

É um sintoma masculino, pois o Peter Pan é um Homem-menino.  É um homem pela idade, um menino pela ações. Para ele, viver, ter responsabilidades, lutar pela vida, é perda de tempo. Tenta disfarçar suas tristezas e angustias, com prazer, atividades lúdicas, histórias, piadas, viagens principalmente para a terra do nunca.

É um eterno imaturo. Em geral, não percebe isso, portanto, nem reconhece que precisa de ajuda. Geralmente, as pessoas que o amam, pais, irmãos, parceiros, em algum momento se cansam, pois afinal o homem-menino nunca cresce.

Existem alguns sintomas básicos que o identificam, e essa anomalia social vai se construindo durante o desenvolvimento da criança e começa na adolescência.

No inicio da adolescência até o começo da idade jovem adulto, percebe-se comportamentos como: irresponsabilidade, não se preocupam em ir bem na escola para construírem um bom futuro  no que se refere a ter uma carreira, uma profissão e portanto, um futuro psicosocial.

Ainda, nesta fase, manifesta-se muita ansiedade com relação a fazer coisas prazerosas, uma viagem com a turma de escola vira um grande evento ansiógeno. Isso se alterna a períodos de solidão e conflitos relativos a sexualidade. A ansiedade faz com que busquem desesperadamente uma namorada, porém como são imaturos e apresentam comportamentos inadequados, acabam por afastar as moças. O que aumenta ainda mais suas aflições, que são mascaradas por comportamentos machistas e até cruéis com o feminino, com o intuito de esconder seu verdadeiro medo da rejeição.

Tem muitos problemas com os pais, com a mãe tem uma ambivalência de sentimentos, ora tem muita tensão e humor agressivo,ora o comportamento muda em função da dependência tanto afetiva quanto financeira.

Parte desses conflitos existentes na síndrome de Peter Pan tem a ver com a relação distante e indiferente com o pai, partindo tanto de um quanto do outro, como se o pai jamais pudesse amá-lo e aprová-lo.

Quando jovem adulto, são narcísicos. Lutam só pelo que interessa a eles. Tem pouca tolerância a frustração. E um excesso de insatisfação com a vida.

Mais tarde, quando realmente são obrigados a serem adultos, manifestam desinteresse por situações padronizadas, porém, que são normais da vida. E ao se casarem, terem filhos, um emprego estável,  reclamam e angustiam-se sentindo a vida entediante e monótona.

Quando chegam na metade da vida, podem ter depressão, ou muita ansiedade em função da insatisfação ou rebelam-se e buscam recuperar o sentido tentando voltar a juventude. 

Existem outros comportamentos que sugerem a síndrome de Peter Pan, como reagir de forma desproporcional as situações, esquecer dos outros, raramente pede desculpas, só toma iniciativa em ocasiões que sejam do interesse dele, etc.

Enfim, ao reconhecer um rapaz, ou melhor, um menino-homem com esses comportamentos, dê a sugestão de que ele precisa de ajuda.

Marilena Borges, Especialista em Psicologia Clínica e Consultora Organizacional
Diretora do ESEDES Espaço Elaborado para o Desenvolvimento da Essência do Ser
e-mail: esedes@uol.com.br
Tel.:  (11) 98308-0607

 

 

Compartilhe este texto
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Marilena Borges

Graduada em Psicologia com especialização em Psicologia Clínica e Mestre em Filosofia. Sócia e diretora do ESEDES.

Últimos artigos

Rolar para cima